Novas tecnologias surgem todos os dias, nos auxiliando a otimizar os mais diversos tipos de tarefas que realizamos em nosso cotidiano. Na hora de ajudar os motoristas que prezam por uma direção segura, econômica e eficaz, as tecnologias voltadas para carros conectados se destacam.

Estima-se que 250 milhões de automóveis estarão conectados até 2020, o que irá impulsionar, ao redor do mundo, diferentes indústrias voltadas para esse segmento.

Para que essa tecnologia traga os benefícios propostos ao usuário, são necessários muitos esforços de engenharia, desempenhando um papel fundamental para fazer com que tudo aconteça como foi planejado. Nesse sentido, é importante que os motoristas tenham consciência de uma gama de informações a respeito do OBD, tecnologia essencial para a popularização dos carros conectados.

Mas o que é exatamente o OBD? Como essa tecnologia funciona e quais os benefícios que ela traz para a relação entre motoristas e seus carros? Essas e muitas outras questões serão respondidas nesse post, preparado pela equipe Nexer especialmente para os nossos leitores. Nele explicamos tudo que você precisa saber sobre a tecnologia OBD. Confira!

O que é?

O OBD, sigla para On Board Diagnostics (diagnóstico de bordo), surgiu na década de 90, e foi criado pela indústria automotiva para que os computadores pudessem acessar e ler as informações processadas pela central eletrônica dos carros.

O modelo do veículo interfere na quantidade e nos tipos de informações que são enviadas. Modelos mais simples e antigos tendem a enviar menos dados do que os mais sofisticados e modernos. Hoje em dia, o conector utilizado na maioria dos carros é o OBDII, uma segunda geração de portas de diagnóstico produzida desde 1996.

 

Todo carro possui entrada OBD?

No Brasil, a tecnologia OBD começou a se tornar padrão em 2010. Assim, todos os carros produzidos a partir dessa data em nosso país são compatíveis com o padrão de diagnóstico veicular.

Alguns modelos no Brasil saíram na frente e, mesmo sendo mais antigos, já possuem a tecnologia embarcada. Este é o caso principalmente de alguns carros da Ford, como o Focus, Ecosport, dentre outros. Se o veículo for importado e fabricado depois de 2005, é provável que ele também possua entrada OBD.

A padronização da porta de entrada do dispositivo foi criada para que houvesse uma forma mais rápida de verificar se os carros estão ou não poluindo de forma exagerada, além de ter como finalidade a popularização do serviço de reparo eletrônico. Isso reduz drasticamente o custo das oficinas, possibilitando que o consumidor pague mais barato por esse tipo de serviço.

Como o OBD funciona?

O OBD é uma porta no carro que funciona como “uma entrada para pendrive”. Quando se conecta um dispositivo capaz de entender como os veículos se comunicam, o OBD consegue fornecer informações de diagnóstico do seu carro, além de outras como a velocidade e a rotação do motor. São essas informações que serão processadas e enviadas para o seu smartphone através de um aplicativo como o Nexer. No caso do nosso aplicativo, isso ocorrerá depois que houver o pareamento entre o celular e o dispositivo OBD.

Para que o OBD serve?

Quem mais utiliza a porta OBD são as oficinas mecânicas. Elas podem usá-la todas as vezes que o seu veículo tiver algum tipo de pane elétrica, por exemplo. Sempre que isso ocorre, os mecânicos colocam um aparelho que se conecta ao OBD e assim conseguem entender qual pane o seu carro apresenta.

Onde fica a entrada OBD do meu carro?

O OBD pode estar localizado em diferentes lugares, dependendo de cada veículo. Não há uma padronização desse posicionamento, mas normalmente os motoristas costumam ter fácil acesso ao local. Os lugares mais usuais em que o OBD se encontra são: próximo ao volante, ao freio de mão ou dentro do porta-luvas.

 

Quais são as vantagens que o meu carro possui ao ter uma entrada OBD?

São várias as vantagens que a entrada OBD traz para o seu veículo. Um exemplo de benefício é o diagnóstico rápido de problemas eletrônicos em carros que possuem a entrada.

Além disso, o motorista consegue se informar e compreender mais profundamente o funcionamento do seu automóvel. Uma entrada OBD disponível pode significar que o veículo possui uma parte eletrônica mais desenvolvida em comparação aos carros que não a possuem. É claro que uma outra grande vantagem desses veículos é que eles estão aptos a utilizarem tecnologias como a da Nexer, uma grande solução no mercado de carros conectados.

Todo OBD é igual?

A resposta para essa pergunta é não. Cada dispositivo possui características diferentes, assim como qualidades. O da Nexer, por exemplo, é especial pois muitas informações são obtidas a partir da combinação das informações lidas do carro através do nosso aplicativo e não diretamente da porta OBD. Isso prova que alguns dispositivos são sim melhores do que outros, portanto faça uma escolha sábia. Porém, se o seu medo for de que o dispositivo OBD possa de alguma forma danificar o seu veículo, você pode ficar tranquilo. A maioria deles seguem um padrão, então a conexão com o dispositivo apenas beneficiará o seu carro. Tome cuidado com os dispositivos ultra baratos e que não seguem os padrões mundiais de produção.

Quais são os tipos de dispositivos OBD existentes no mercado?

São vários os tipos de dispositivos que podem ser acoplados à entrada OBD. Os mais utilizados são:

Scanners de oficinas: com custo entre 5 e 16 mil reais, eles são comuns nas oficinas de grande porte e concessionárias.
Dongle: são aparelhos independentes que se conectam ao carro, direcionados ao consumidor final e a um custo mais baixo.
Diagnosers: são dongles utilizados basicamente para capturar os códigos de erros presentes nos veículos. Eles devem ser conectados ao carro apenas em casos esporádicos e mostram apenas um código numérico ao usuário. Custam entre 60 e 200 reais, dependendo da qualidade do produto.
Rastreadores: algumas empresas fazem rastreadores que se conectam ao OBD apenas como forma de conseguir energia para operação. Estes chegam a custar entre R$ 250 e R$ 2000, sendo que o usuário precisa pagar um plano de dados mensal, com custo variando entre 10 e 20 reais por mês.
 

Como é o dispositivo OBD da Nexer?

O dispositivo Nexer possui uma qualidade especial de dongle, sendo uma tecnologia exclusiva e desenvolvida pela empresa brasileira. O Nexer é um dispositivo que permanece conectado ao seu veículo durante todo o tempo que o motorista quiser utilizá-lo.

Ao adquirir o dongle, o usuário garante que seu carro permanecerá conectado por um tempo indeterminado e a um custo baixo. Quando combinado com o aplicativo, disponível para celulares Android, o motorista consegue acompanhar o seu desempenho em cada viagem que realiza.

Dessa forma é possível otimizar o modo de condução, auxiliando, por exemplo, na redução de gastos com combustível. Além disso, o Nexer aprende o comportamento do seu carro, evitando manutenções desnecessárias e auxiliando na resolução de problemas, dentre outras ações, tudo ao alcance de suas mãos.

 

Por que carros conectados e a tecnologia OBD são o futuro?

Nessa revolução tecnológica em que vivemos, a chamada internet das coisas irá conectar as pessoas aos aparelhos e dispositivos eletrônicos utilizados no dia a dia. Quando o assunto é conectar motoristas a seus carros, o OBD permite que seu veículo permaneça sempre conectado.

O grande benefício que a tecnologia de OBD traz, que é poder controlar as funcionalidades do seu carro de um jeito fácil, deixa de ser uma tendência para o futuro e passa a ser uma realidade. Em breve motoristas poderão desfrutar de serviços e vantagens que antes, sem conectividade, parecia impossível. Confira algumas situações e soluções que a conectividade do seu veículo poderá proporcionar:

Seu carro estraga e imediatamente você recebe uma ligação sugerindo onde poderá consertá-lo.
Há alguma pane e você pode solicitar e acompanhar a chegada do seu reboque pelo celular.
Seus hábitos de direção são entendidos e o seu carro te ensina a dirigi-lo da melhor maneira.
Você recebe informações do seu carro via e-mail, lhe avisando sobre o seu desempenho de condução semanalmente.
Seu carro te lembra que você precisa trocar o óleo e já marca a troca de acordo com a sua disponibilidade.
 

Esperamos que esse artigo tenha te ajudado a entender melhor sobre a tecnologia OBD e as vantagens de ter um carro conectado.

Ficou com alguma dúvida? Então deixe nos comentários. No nosso blog você também encontra diversos posts com dicas para ajudar os motoristas a conduzirem de forma mais consciente e segura, vale a pena dar uma olhada. Até a próxima!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>